Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

An Deiner Seite - Cap 46

Oláa meus amores!! x)

 

Acabei agora mesmo de escrever o capitulo, tive um contratempo hoje, tive de ser enfermeira da minha irmã... portanto demorei imenso a escrever. Este foi um capitulo que preparei com todo o amor e carinho, e é este capítulo que vos vai compensar pelos tantos dias que estiveram sem fic! x) Para além de ser maior que o habitual, é cheio de emoções fortes...

 

Espero que gostem dele tanto quanto eu! Dedico-o a toda a gente que lê, comenta, e gosta desta fic!! ^^ Vão ter uma surpreza já no incio do capitulo... Ha um novo narrador! x)

 

Se encontrarem erros ortográficos a culpa é da Inês que não me deixou reler o capitulo antes de o postar xD

 

E sem mais rodeios...

ENJOY! x)

 

* * *

 

[ Alana ]
 
Saí disparada da casa de banho, deixando a Emi para trás e corri o mais depressa que pude, por entre pulos e pulinhos, até chegar ao elevador onde o «meu» Gustav e o Bill tinham entrado.
 
Entrei de forma abrupta, praticamente me atirei para o interior do elevador, porque a porta já começava a fechar-se mecanicamente. Quase me ri quando me apercebi que os tinha assustado, mas tinha de me manter séria…
 
“That was close…” O mundo caiu aos meus pés… O GUSTAV FALOU COMIGO! E ainda por cima estava com aquele sorriso magnífico dele nos lábios. Quase virei poça de baba ali mesmo! Mas tinha de me controlar… tinha de esconder a toda aquela excitação que sentia a explodir dentro de mim.
 
Fingi que nem sequer tinha ouvido o que ele tinha dito, e mantive a postura mais arrogante possível, o que era extremamente difícil! Dei um passo para a frente e carreguei num botão de um andar qualquer sem prestar muita atenção… mas tinha de ser um andar mais alto que o décimo segundo, que era o botão do andar no qual eles tinham carregado. 
 
Quando voltei a dar um passo para trás, para voltar ao meu sítio, senti o meu pé a pisar algo extremamente fofo… Qual não é o meu espanto quando no mesmo segundo oiço um gemido de dor nas minhas costas. Virei-me assustadíssima, tinha acabado de cravar o salto-agulha das minhas sandálias no téni do Gustav! E pela cara dele, que estava cada vez mais vermelha, aquilo tinha doído e muito.
 
SUA IDIOTA!!, ralhei comigo mesma. “I am so sorry…” Implorei-lhe sinceramente quase perdendo toda a minha pose de antipática e ficando da cor de um tomate. Comecei a ouvir o Bill a reprimir umas boas gargalhadas… Valha-me deus, que situação mais estúpida!
 
“There’s no… no problem.” Gaguejou o Gustav, cerrando os pulsos com uma expressão de dor. O que é que eu fiz para merecer isto?! Pisei o pé do meu mais-que-tudo da maneira mais dolorosa possível! Só me apetece é esconder num buraco! Ai mãezinha…
 
Ainda meio atrapalhada, comecei a tentar fitar um ponto indefinido no elevador… Raios! Porque é que eu não consigo parar de estar corada?
 
Finalmente o elevador começou a subir e a minha temperatura corporal também… Tinha o Gustav a escassos centímetros de mim! Era impossível não ficar vidrada nos olhos dele… na sua expressão… no seu corpo. Meu deus, eu estava tão perto dele que conseguia sentir o cheiro dele! O Gustav é tudo o que eu imaginava que ele seria… e a única coisa que me passava pela cabeça neste momento era atirar-me ao pescoço dele e roubar-lhe um beijo daqueles longos e loucos!…
 
O elevador chegou ao décimo segundo andar depressa, e ainda bem porque o Bill não parava de rir! Foi mesmo ele a sair primeiro do elevador, soltando duas gargalhadas fortes no corredor, e só depois saiu o Gustav.
 
Qual não é o meu espanto quando ele diz por cima do seu ombro, sem interromper a sua marcha “See you later…” Eu nem sequer consigo imaginar a cara de pasmada que eu devo ter feito.
 
A única coisa que eu consegui murmurar foi um fraco “Bye…” enquanto o via a ele e ao Bill atravessarem o corredor. Discretamente, coloquei o meu dedo num botão que impedia que as portas se fechassem e esperei que eles chegassem às portas dos seus quartos.
 
Vi-os despedirem-se entre si e desaparecerem cada um no interior de seu quarto. Só aí é que corri até lá para ver quais eram os números…
 
“Gustav… 1207. Bill…1209.” Agora só precisava de saber se eles dividiam os quartos com o Georg e com o Tom, ou não. Como é óbvio não havia outra maneira de saber se não perguntasse a alguém se aqueles quartos eram duplos ou não… E como seria de esperar, não estava nenhuma camareira no corredor. Eu teria de ir à recepção e arranjar uma desculpa esfarrapada qualquer para o saber.
 
Corri portanto de volta para o elevador, tinha de ir ter com a Emi e contar-lhe tudo para depois irmos à recepção. Bolas! O elevador já não está aqui… fui obrigada a chamá-lo novamente.
 
Estava a fazer tempo à espera do elevador que nunca mais aparecia, quando os meus olhos pousaram num plano de emergência. Estava afixado mesmo ao lado do elevador e tinha assinaladas na planta daquele andar as saídas de emergência em caso de acidente.
 
“Espera. Isto é…” Comecei aos pulinhos a fazer uma dança comemorativa. Tinha à minha frente uma planta do andar! Não demorou muito até eu descobrir os quartos 1207 e 1209… E sim!, eram duplos! O que quer dizer que o Gustav partilha o quarto com o Georg e o Tom com o Bill! Hurrey, estou feliz!
 
Ouvi o «plim» do elevador e não esperei nem dois segundos para entrar nele, tinha de contar à Emi a minha descoberta… Sem perceber, estava sozinha dentro do elevador a cantarolar uma melodia irritante que não me saía da cabeça: “Tu vais ver o Tom! Tu vais ver o Tom! E eu vou ver o Gustaaaaav!!...” Corrigi a frase segundos depois, “Vou ver o Gustav outra veeeeeeeeeez!!”
 
 
 
 [ Emily ]
 
Perdi noção do tempo… Os curtos minutos que devem ter passado desde que a Alie entrou no elevador com Bill e o Gustav, pareceram-me horas devido ao nervosismo que me assolava. Entretanto não vi grandes movimentos. Só o David e o Andreas é que subiram para os quartos deles… Quando ao Tom e ao Georg, esses devem continuar no bar do hotel, porque eu ainda não os vi sair de lá.
 
Finalmente um dos elevadores desceu ao piso térreo, e de lá de dentro saiu a Alie, que vaio a correr na direcção da casa de banho. “Emi, Emi, EMI! Já sei quais são os quartos deles!”
 
Meu deus, ela estava aos gritos no corredor! “Entra aqui já, e dá menos cana, por favor!” Implorei-lhe, esta rapariga é completamente demente!… Ia pôr toda a gente a olhar para nós!
 
Arrastei-a para dentro da casa de banho comigo, tentando silenciá-la mas ela estava mais excitada do que eu alguma vez a tinha visto na vida! “Eu sei quais são os quartos deles! Emi, eu vi!!”
 
Eu peguei nas mãos dela, tentando acalmá-la, “Calma, linda… Explica-me o que aconteceu.”
 
Ela respirou fundo e foi-se sentar num dos cubículos da casa de banho, e depois começou a contar tudo com um sorriso gigante nos lábios, desde o momento em que entrou no elevador, até ter entrado na casa de banho comigo novamente.”
 
“Tu não existes mesmo, linda!” Ri-me ainda a referir-me ao facto dela ter pisado o Gustav no elevador. Por momentos ela afastou de mim aquele nervosismo.
 
“Oh Emi, tu não me digas nada… Fiquei tão envergonhada…” Continuamos a rir por alguns momentos, esquecendo-nos por completo que o que deveríamos estar a fazer era vigiar a saída do bar… Só fomos despertas quando começámos a ouvir gritos do lado de fora da porta.
 
Não foi preciso dizermos nada uma à outra, ambas corremos para a porta para ver o que se estava a passar. A minha alma ficou parva, e tenho a certeza que a da Alie também ficou quando vi-mos aquilo…
 
O Georg e o Tom estavam os dois a sair do bar e estavam a dirigir-se sozinhos para os elevadores… Mas alguma coisa não estava bem. O Georg estava completamente apoiado no Tom, mal se conseguia segurar a si mesmo. Nem queríamos acreditar quando começámos a ouvir novamente os gritos, e vimos que era o Georg a cantar:
 
“SCHREI!!… Bist du du seeelbst biiiist! SCHREIII!!!Und weeenn es das letztee iiiiist!“
 
Eu e a Alie tivemos de tapar as nossas bocas para não nos rirmos… O Georg estava completamente bêbado! Percebi que o Tom não estava a cem por cento, também devia ter bebido bastante, porque estava a ter dificuldade a arrastar o Georg. Mas vi pela expressão dele que estava suficientemente sóbrio para estar extremamente chateado com o Georg.
 
“Cala-te seu idiota! Queres armar uma barraca para sermos expulsos do hotel?!” Ouvi o Tom repreendê-lo agora que tinham finalmente chamado um elevador.
 
O Georg olhou muito sério para o Tom por um momento, mas depois começou a berrar novamente: “SCHREI! Auch weeenn es weeh tuuut!”
 
“GEORG!!” Berrou-lhe o Tom na cara extremamente enervado, e o coitado do Georg ia morrendo de susto.
 
A sua expressão ficou tristíssima de repente quando ele abraçou o Tom e murmurou, “Schrei so laut du kannst, Tom…Schrei.” 
 
A Alie quase largou uma gargalhada, mas eu fiquei subitamente séria… Estava tão perto do Tom. Se eu saísse da casa de banho agora ele ver-me-ia. Mas eu não podia fazer, pelo menos não nestas circunstâncias, e muito menos com o Georg bêbado nas proximidades.
 
Comecei a tremer de nervosismo quando os vi aos dois entrar no elevador. Ainda consegui vislumbrar o rosto do Tom antes dele desaparecer atrás da porta quando esta se fechou. Estava a chegar o momento de nos encontrarmos.
 
Eu não precisei de dizer nada à Alie quando os nossos olhares se cruzaram, ela sabia exactamente aquilo que eu estava a pensar. Senti a mão dela a agarrar a minha com firmeza, e vi-me ser encaminhada por ela para fora da casa de banho.
 
“Preparada Emi?” Perguntou-me ela a medo, ela própria com um sorriso nervoso nos lábios. Ao mesmo tempo que chamava um segundo elevador.
 
“Acho que sim…” Murmurei ao mesmo tempo que as portar se começaram a abrir à nossa frente. Assim que entrei encostei-me a um canto do elevador. A Alie não disse, nem fez nada, limitou-se a lançar-me um olhar d incentivo e coragem antes de premir o botão com o número 12 inscrito.
 
Parecia que o elevador estava a subir em câmara lenta, estava a demorar tanto tempo… Tinha a Alie à minha frente, ela continuava a olhar para mim. Ela sabia que não precisava de dizer nada, bastava deixar-me com os meus pensamentos e manter-se a meu lado para eu ficar bem.
 
Finalmente chegámos… Segui a Alie de perto e em silêncio. Não encontrámos ninguém no corredor, o Tom já devia ter deixado o Georg a dormir no quarto do Gustav e deve ter-se ido deitar também.
 
Parámos em frente a uma porta branca, que tinha a numeração em metal… lia-se 1209. É aqui. O Tom está só do outro lado desta porta…
 
“Queres que eu bata?” Perguntou a Alie, e eu acenei positivamente, estava sem fala e incapaz de coordenar os meus movimentos novamente.
 
Ela já tinha a mão perto da porta quando me perguntou, “Como é que se diz «Precisamos de falar» em alemão?”
 
Eu respondi simplesmente, “Wir müssen sprechen.”
 
Vi a Alie fazer uma careta fofinha em sinal de incompreensão antes de tentar repetir, “Vir mousse… sprin… spregstin?!”
 
Um sorriso sincero brotou no meu rosto… Estava mais que provado ela conseguia fazer-me rir em qualquer situação, “Não Alie, é «Wir müssen sprechen».”
 
Ela ainda tentou mais uma ou duas vezes mas desistiu depressa, “Deixa estar, eu falo em inglês…” E sem me avisar bateu três vezes na porta.
 
O meu coração parou, era agora… Depois de um primeiro momento de silêncio, ouvimos movimento e depois passos em direcção à porta.
 
“Who is it?” Ouvi a voz do Tom perguntar do outro lado da porta e achei que fosse morrer ali mesmo… O Tom, o meu Tom, estava somente do outro lado de um pedaço de madeira.
 
“It’s – We really need to talk, Tom…” Ouvi a Alie a gaguejar a meu lado, e pude perceber que também ela estava nervosa. Não consegui olhar para ela, estava com o olhar fixo na porta, pedindo mentalmente ao Tom que ele a abrisse.
 
A voz do Tom respondeu fria e cruel… por um momento não o reconheci, “I am not feeling like repeating Reden tonight, I am sorry…” Depois ouviu-se movimento do outro lado, indicando que ele se estava a afastar da porta.
 
Sem perceber muito bem o que é que estava a fazer, dei dois murros na porta e berrei, “Tom, ich bin!” Os passos do Tom pararam abruptamente e eu sube que ele tinha reconhecido a minha voz.
 
Ouvi agitação dentro quarto… Ouvi a voz do Bill e depois mais movimento. Olhei a Alie por um momento e vi que ela tinha lágrimas a escorrer pelo rosto… Só aí me apercebi que também estava a chorar.
 
Depois aconteceu tudo muito depressa… A porta do 1209 abriu-se, e eu só consegui ver uma juba tipo espanador preta com madeixas brancas antes do dono dessa juba me abraçar e quase me deitar ao chão.
 
“EMILY!!” Gritou o Bill enquanto me abraçava… enquanto me abraçava, não, enquanto me esmagava completamente com os seus braços! Ah, e como sabia bem abraçá-lo novamente… sentir o meu melhor amigo junto a mim ao fim de tanto tempo.
 
“Bill…” Murmurei agora que as lágrimas caíam pelo meu rosto sem cessar.  Estava tão feliz por ele estar ali.
 
Toda aquela agitação fez com que a porta do 1207 também se abrisse. Não os consegui ver, porque o cabelo do Bill estava a tapar-me completamente a visão… mas ouvi as vozes deles e senti os braços deles a envolverem-me logo de seguida.
 
“Emily!” Ouvi o Gustav gaguejar incrédulo…
 
“EMI!!!” Ouvi o Georg berrar, ainda sob o efeito do álcool…
 
E no momento não era abraçada por um par de braços, mas sim por três… O Bill, o Gustav e o Georg tinham quase feito um moche à minha pessoa e não se cansavam de me dar miminhos.
 
O que eu senti foi indescritível… tinha tantas saudades de receber aquele amor daqueles rapazes que um dia foram tudo para mim, e que agora estavam de volta à minha vida.
 
Finalmente eles começaram a largar-me, só o Georg é que continuava pendurado em mim, mas isso era por estar ainda a ver duas Emilys em vez de uma.
 
Reparei que o Gustav e o Bill tinham lágrimas nos olhos, e que inclusivamente o Bill tinha a maquilhagem toda esborratada, mas ainda assim tinham sorrisos brilhantes rasgados nos seus rostos.
 
Estavam a olhar para mim de cima a baixo, à procura daquela Emily que tinham deixado na Alemanha… Relembrem-se que eu estava toda chique com o tal vestido de gala, por isso é normal que eles ficassem com caras de idiotas a olhar para mim.
 
“Estás tão glamorosa, Emi!!” Exclamou o Bill com uma gargalhada.
 
Antes de lhe responder que aquilo era apenas um «disfarce» para poder entrar no hotel, senti o olhar do Tom colocado em mim. Virei-me para o encontrar paralizado à porta do quarto dele. Ficámos assim, de olhos fixos um no outro durante o que pareceu uma eternidade, até eu ser capaz de lhe enviar um sorriso inseguro.
Mas ele não me respondeu. Manteve aquela expressão fria e cruel… Limitando-se a depois a virar-me costas e a entrar novamente para o quarto dele. Vi o Tom desaparecer no interior do quarto, já que ele tinha deixando a porta aberta.
 
Senti-me como se o tecto tivesse caído em cima da minha cabeça, estava à espera de tudo, menos desta indiferença por parte do Tom.
 
“Vai falar com ele…” O Bill disse-me enquanto me empurrava na direcção da entrada do 1209. Eu olhei para o Bill, queria também falar com eles, precisava deles… “Tens tempo para nós depois… O importante agora é que vocês os dois falem tudo o que têm para falar…”
 
Antes de entrar no quarto do Tom e fechar a porta atrás de mim, ainda vislumbrei a Alie a sorrir para mim com o rosto coberto de lágrimas.
 
* * *
 
Tada!
Continua...
 
Espero do fundo do coração nao vos estar a desilusir... Comentem por favor, e digam o que acham! Preciso muito das vossas opiniões ^^
 
Amanhã há mais! E vão ser emoções ainda mais fortes! x)
Loads of Kisses to All of You! xD
 

 

 

sinto-me: I feel like a dreamer xD
música: Portugal x Alemanha
publicado por Dreamer às 20:43
link do post | comentar | favorito
18 comentários:
De Sássára a 19 de Junho de 2008 às 21:11


OMFG! QUERO MAISSSSSS XD
Deus do céu, eu amo esta fic *.*
É tão.. intensa!

Beijinho @
De spark a 19 de Junho de 2008 às 21:12
Hey.. a culpa é minha pronto.. eu admito ='(


xD




Soube mesmo bem..

Amanha é o ulltimo dia de pressão..

Depois.. Festa!!


Ai posso chatear mais vezes para postares..

E também podes fazer chantagem comigo se quiseres..


E viste.. não tinha erro nenhum ^^




Amanha há mais..


Kiss <3
De mia a 19 de Junho de 2008 às 21:14
*.* emoçoes muito fortes mesmo!


e pff no prox cap... tenta contar o qe é qe a allie tá a falar com os outros 3 xD ele tbm é fofa :)


e já agora podias postar mais um! LOOL
De Sii '' a 19 de Junho de 2008 às 21:35
mein gott!!!!

nem sabes o quanto adorei este capitulo!!!!!!!

esta fic e demais......adoro-a!!!!!



kero mais...por favor....

ja tou em nervos por tar a ver o jogo...pota mais um please...
De Morceguinha a 19 de Junho de 2008 às 21:46
Completamente deslumbrante...Foi um capitulo....aiii....nem sei o que dizer xD
Ultimamente andas-me a deixar sem palavras algumas vezes...
Quero mais!
Küssinhos
De Twinas^^ a 19 de Junho de 2008 às 21:48
VAIS-ME MATAR DO CORAÇÂO!
Então interrompes a fic nesta parte?
EU VOU MORRER!
MAIS MAIS !
O MEU CORAÇÃO TÁ A ENTRAR EM COLAPSOOO xD
Só mais um?
Grandinho também xD
Beijo *
De Su a 19 de Junho de 2008 às 21:59
OMG depois de ver aquele jogo (em que perdemos...) venho para aqui, toda chateada e vejo que tenho um capitulo novo para ler ^^
Cada vez que elas avançavam um bocadinho sentia o meu coração a aumentar de velocidade. ESTAVA SUPER NERVOSA! E pronto, fez-me rir e esquecer a miséria do jogo.

Agora tens de postar o resto!

Beijinhos
De Su a 19 de Junho de 2008 às 22:01
Nem é preciso dizer o que acho, tu sabes que eu AMO!

Beijinhos

P.S. Tens de postar rápido!!! Agora quero ver essa conversa ^^
De Cristinaa a 19 de Junho de 2008 às 22:17
Òh MGôd ... eu estou a chorar --'

> tá LINDO, LINDO, LINDO, LINDO. *-*
De Sofia Oliveira a 19 de Junho de 2008 às 22:23
sem palavras mesmo..

:S

não gostei.
não adorei.
mas simplesmente amei.. mais um capitulo..

agora só mais uma coisa quero mais..

beijinhos

Comentar post

Dreamer @ 02-04-2008

.mais sobre mim

.links

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.mais comentados

.Follow me :D

. Don't Stop! - Chap 2

. Don't Stop! - Chap 1

. Wake up sleepy head !

. "Forever Sacred" - Chap 2...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Resumo...