Sábado, 5 de Abril de 2008

Was it a Dream? - Cap 4

Só porque me pediste dessa forma tão fofinha, Bunna, vou postar o quarto capitulo desta fic! Enjoy! :D

 

* * *

 

Fiquei com os olhos presos à sombra do Tom enquanto ele descia as escadas, e durante aquele momento foi como se nada mais existisse. O jeito dele deixava-me sempre sem palavras e completamente maravilhada. Quem me dera poder estar com ele todos os dias…Desejei eu, quando me lembrei que estaria lá apenas até o Bill recuperar. O Bill! Ele estava mesmo atrás de mim à séculos e eu tinha me esquecido dele… outra vez!

 

Quando me voltei na cama, o mais rápido que pude, encontrei-o com os olhos postos em mim, a sorrir descaradamente. E eu sabia porque é que ele estava a sorrir, mas fiz de tudo para me fingir desentendida. No segundo seguinte, ele escrevia muito apressadamente no bloco de notas que tinha à sua frente: “Ele sente o mesmo por ti, sabias?”

 

Sentei-me muito direita na cama do Bill e corei de novo. Mas que raios se passava comigo? “De que é que estás a falar?” Perguntei-lhe tentando esconder o furacão de sentimentos que tinha dentro de mim.

 

“Oh, Sway,” Escrevinhou o Bill novamente, sem tirar os olhos dos meus, “Até um cego veria que estão caidinhos um pelo outro… Não sei de que estão à espera!”

 

Entrei em pânico. Será que ele estava a falar a sério? Ele tinha que estar a brincar comigo. Não. Era tão surreal que só podia ser um sonho! “Não Bill, o Tom e eu não…” Deixei escapar num sussurro sem sequer ser capaz de acabar a frase.

 

O Bill sorriu para mim sinceramente e aproximou-se. Abraçou-se a mim como se me fosse dizer um segredo, mas em vez disso, pegou no caderno e começou a escrever. Eu lia cada palavra à medida que ele a ia escrevendo, o meu queixo foi caindo aos poucos e o meu coração acelerando cada vez mais:

 

“Sway, ambos sabemos como o Tom é com mulheres. E é por isso mesmo que eu acho que há qualquer coisa de diferente… de especial.

 

Foi ele quem teve a ideia de ficares connosco estas semanas antes da minha cirurgia, e foi ele que insistiu que ficasses para a recuperação. É claro que eu adoro ter-te aqui, a tua presença faz-me muito bem, mas foi ele quem quis primeiro. Não é normal, tu sabes… Ele não procura as raparigas, ele deixa que elas venham ter com ele e depois ele leva-as para a cama...

 

Precisavas de ver como ele passou os dias antes de tu chegares! Ele não parava quieto um segundo, sempre a falar de ti, sempre a perguntar-se se tu ias querer ficar cá mais tempo, sempre a imaginar como as coisas iam ser… Eu nunca tinha visto o Tom tão entusiasmado!

 

Ah, e o no dia em que ele te foi buscar ao aeroporto… Eu não te contei, mas mesmo sabendo que o teu voo só chegava às dez da noite, ele estava no aeroporto às sete da tarde! Não parava de dizer, «Se ela chegar mais cedo e não tiver lá ninguém, ela perde-se!»

 

E minha querida, conhecendo o meu irmão como eu o conheço, tenho a certeza que ele ficou de pé à porta do cais de desembarque até tu chegares.”

 

O Bill parou de escrever por um momento e olhou profundamente nos meus olhos. Ele sabia a importância daquilo que me estava a dizer, e o quão feliz me estava a fazer naquele momento.

 

Eu comecei a tremer enquanto lágrimas me caíam dos olhos e os meus lábios se rasgavam num sorriso distorcido. Agora tinha eu ficado sem voz. O Bill abraçou-me carinhosamente, e fazendo-me festas nos ombros. No rosto dele estava espelhado um sorriso igual ao do Tom.

 

Lentamente, ele recomeçou a escrever. A suas letras, mais cuidadas e bem desenhadas diziam, “Eu vejo nos teus olhos que sentes o mesmo por ele… E ainda bem que és tu.

 

Embora o Tom nunca tenha admitido, eu sei que ele andava à procura daquela rapariga especial, aquela para namorar mesmo, não só para curtir por uma noite ou levar para a cama… E eu acho que ele te encontrou a ti, Sway.”

 

O Bill pousou a caneta novamente, deixando que ela rolasse ruidosamente pelo caderno para os lençóis. Eu estava completamente apática, como podia aquilo ser verdade? Calmamente, ele tomou a minha cara nas suas mãos e pousou a testa dele na minha sem conseguir parar de sorrir.

 

Eu estava tão emocionada que não lhe consegui retribuir o sorriso. Em vez disso lancei-me nos braços dele a chorar e murmurando um “Obrigada.” Ele agarrou-me com força e ficou a passar as suas mãos pelas minhas costas até que eu me acalmasse. Felizmente isso aconteceu antes do Tom nos chamar para o jantar.

 

* * *

 

PLIM! Fim do quarto capitulo e eu estou com a lagrimita no canto do olho! xD Amanhã há mais, não percam! O próximo capitulo tem muitas lágrimas e também muitas gargalhadas... Emoções fortes! :D

 

sinto-me: Feliz!
música: Black
publicado por Dreamer às 21:19
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Buna a 6 de Abril de 2008 às 01:30
OMG, Sway, tão bom!!!!

Adorei muito, tens muito talento princesa!!
Mal posso esperar por amanhã! =P

Muito obrigada por teres postado outro capítulo!!!
Doro-te mt!
Buna
De Dreamer a 6 de Abril de 2008 às 01:37
Nhá! Ainda bem que gostaste... erm... deixaste-me a corar... xD

Amanhã há mais, sem falta!

Obrigada, linda!!
Adoro-te! :D

Comentar post

Dreamer @ 02-04-2008

.mais sobre mim

.links

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.mais comentados

.Follow me :D

. Don't Stop! - Chap 2

. Don't Stop! - Chap 1

. Wake up sleepy head !

. "Forever Sacred" - Chap 2...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Resumo...