Quinta-feira, 3 de Julho de 2008

An Deiner Seite - Cap 51

Olá meus amores! ^^

 

Antes de mais, pediram-me para divulgar o blog das butterflysinlive... Tem muitos poemas, e parece que começaram agora uma história sobre como começaram a escrever os ditos poemas. Dêem lá um pulhinho ^^

 

E agora... Passamos ao assunto da fic!

Desculpem as demoras a postar, mas como já disse inumeras vezes ando numa de bloqueios xD Não consigo escrever porque a fic está a chegar ao fim e eu não quero que ela acabe --'

 

Este capítulo demorou muito a sair do forno, e estive indecisa no que fazer com ele até ao último minuto... A história dá uma grande volta apartir daqui. Mas lendo vocês compreendem, só espero é que não me batam depois xD

 

Nem sabem o quão feliz fiquei por ver tantos novos leitores e Bya, admiro-te por teres lido a fic toda numa tarde xD Mereces um beijinho especial ^^ Vejo que me encheram de comentários amorosos novamente, e só tenho a agradecer, este capítulo vai para todos vocês! ^^

 

Mas sem mais atrazos,

ENJOY!

 

* * *

 

[ Emily ]
 
Vimos o sol nascer por entre as persianas mal encerradas da janela do quarto. A luz iluminou os nossos corpos nus e entrelaçados à medida que a luz inundava aquela divisão. Eu e o Tom continuávamos acordados, para sempre perdidos no olhar um do outro. Nos nossos rostos estava espelhada a infindável felicidade que sentíamos naquele momento, entregues aos braços um do outro, trocando ainda leves carícias.
 
Não adormecemos naquela noite, não nos demos ao luxo de perder um segundo que fosse… Os nossos olhares gravavam na memória cada momento, cada toque, cada olhar, cada beijo e cada entrega.
 
Podem achar que todos os nossos problemas estavam resolvidos a esta altura, e que um final feliz se avizinhava para nós… Mas tanto eu como o Tom sabemos ainda temos muitas barreiras a quebrar e muitos obstáculos a ultrapassar… se é que algum dia seremos capazes de o fazer.
 
Por isso é que estamos em silêncio, saboreando os últimos momentos da nossa união. Não precisamos de falar, sentimos o que o outro quer, lemos as palavras nos olhos um do outro… Finalmente voltámos aos nossos velhos tempos.
 
A mão direita dele continua a acariciar a minha cintura demoradamente, como se ele estivesse a procurar memorizar a forma exacta do meu corpo e a textura da minha pele. Enquanto isso, os meus dedos percorrem a sua face outra vez, brincando como sempre com o seu piercing. O Tom sorria para mim, aquele sorriso que me fez apaixonar-me por ele à tanto tempo atrás… Aquele sorriso que ainda hoje me deixa louca, e que me faz ter vontade de o beijar. E foi isso mesmo que fiz.
 
Os nossos lábios tocaram-se uma vez mais, num beijo leve, mas cheio de sentimento… Beijo esse que expressou tudo o que estávamos a sentir naquele momento. Depois as nossas bocas separaram-se novamente e ficámos apenas a olhar-nos, sem sairmos do conforto daquele abraço.
 
“A que horas parte o vosso avião…?” Perguntei-lhe quebrando pela primeira vez o silêncio de tantas horas. A minha expressão mudou, deixando transparecer alguma da muita tristeza que eu estava a sentir por saber que nos íamos separar novamente.
 
Também na expressão do Tom consegui notar essa mesma tristeza… E pela primeira vez em horas, ele desviou o seu olhar do meu. “O avião parte às dez da manhã…”
 
“Ou seja, daqui a duas horas e meia.” Constatei verificando as horas no relógio da mesa-de-cabeceira. A saudade começou a atacar-me, e voltei a sentir a dor de estar três anos sem o ter por perto, sem o poder sentir… sem o poder beijar. Os meus olhos encheram-se de lágrimas imediatamente.
 
“Vem comigo…” Pediu-me o Tom em surdina, colando a sua testa à minha, e fazendo os nossos narizes roçarem um no outro.
 
Quis responder, mas não fui capaz… a minha voz não me obedecia. Mordi o meu lábio inferior pedindo forças aos céus para responder àquela pergunta, e fechei os olhos para ganhar coragem… assim que o fiz uma magra lágrima escorreu pelo meu rosto, mas lutei para a minha expressão se manter serena. “Tu sabes que eu não posso fazer isso, Tom.”
 
A mão dele limpou a minha lágrima num gesto demorado que se transformou em carícia. Ele obrigou-me a encará-lo, e eu encontrei os olhos dele também cheios de lágrimas, apesar de também ele manter uma expressão serena. “Por favor, Emi… Vem comigo. Não suporto a ideia de te perder outra vez.”
 
Contra todas as expectativas, sorri-lhe. Era um sorriso triste, mas ainda assim era um sorriso. “Eu já te disse que nunca me perdeste… Eu fui, sou, e vou ser, tua para sempre.”
 
Os lábios dele beijaram os meus com urgência, como se fosse já um beijo de despedida. Como se ele quisesse confirmar aquilo que eu lhe acabara de dizer.
 
“Mas eu quero-te ao meu lado, Emi…” Murmurou ele, ainda com a sua boca a milímetros da minha, “Eu tenho dinheiro para nos sustentar aos dois, não ias precisar de trabalhar e não te faltaria nada!”
 
Porque é que tínhamos de ter esta conversa novamente? Tivemo-la à três anos atrás, e voltámos a tê-la ontem à noite… Olhei fundo nos olhos dele, desesperada para que ele compreendesse. Não estava chateada com ele, estava meramente a tentar que ele compreendesse de uma vez por todas o que eu sinto cá dentro:
 
“Repara que não estás só a pedir-me que vá contigo… Estás também a pedir que eu me desfaça de uma vida que levei três anos a construir, que deixe todos os meus sonhos para trás, que abandone os melhores amigos e a família… Estás a pedir-me que abandone a minha banda, e que depois de concluir dois anos do meu curso, desista dele….”
 
Estava a ficar sem fôlego, só eu sabia o quanto me custava dizer-lhe isto vezes e vezes sem conta, mas continuei. O olhar do Tom disse-me que desta vez ele ia conseguir compreender, “Imagina que eu tinha todo o amor que existe para te dar, e todo dinheiro do mundo para te oferecer tudo o que quisesses… Deixarias os Tokio Hotel, o teu irmão, os teus amigos e os teus fãs… Deixarias a Música, deixarias o teu sonho, para ficares comigo?”
 
Ele não me respondeu, e eu também não fui capaz de lhe dizer mais nada. Afinal continuávamos iguais, continuávamos a manter os nossos sonhos acima de qualquer outra coisa, até acima do amor que sentíamos um pelo outro… Mas eu não o culpava a ele, e ele não me culpava a mim, sofríamos os dois do mesmo mal.
 
Finalmente o Tom percebeu que dificilmente os nossos caminhos se cruzariam outra vez… Ontem e hoje foi uma excepção, a mais bela excepção de todas, mas não passou disso. A partir de agora, o caminho que levava à concretização dos meus sonhos puxava-me para longe do Tom… e por mais que me doesse o coração, eu ia deixar-me ir.
 
Rolei na cama, ficando de costas para ele. Porque é que me era tão difícil encarar o Tom neste momento? Ele continuou a abraçar-me e puxou-me para ele. Pousou a sua cabeça no meu ombro, talvez esperasse que fosse eu a quebrar o silêncio, talvez quisesse que fosse eu a dar a sentença final… Por isso murmurei-a devagar, sentindo uma dor fortíssima atravessar-me o peito, cortando a minha respiração, e enchendo os meus olhos de lágrimas. “Nós não podemos continuar, Tom…” Queria acabar a frase, mas fui incapaz.
 
O Tom soltou um suspiro triste junto da minha orelha, e eu senti um estranho arrepio percorrer a minha espinha. “… Tu tens a tua vida e eu tenho a minha. Pertencemos a mundos diferentes…” Murmurou ele, completando a frase por mim.
 
“E será sempre assim.” Finalizei agarrando-me com força aos seus braços que me rodeavam a cintura e o peito. Senti as lágrimas que inundavam os meus olhos vacilar, mas eu não as ia deixar cair! Não podia! Pedi aos céus que o tempo parasse nesse momento, para eu nunca mais ter de me despedir daquele que mais amo.
 
Senti algo molhado escorrer pelo meu pescoço. Eram lágrimas dele! Não aguentei nem mais um segundo, as lágrimas que eu tanto me esforçava por reprimir, escorreram pela minha face e misturaram-se com as do Tom.
 
“Vais continuar como se nada disto tivesse acontecido?” Perguntei-lhe a medo, num murmúrio quase inaudível. Passaria muito tempo até o voltar a ver, se é que seria possível voltar a estar com ele no futuro, por isso precisava de saber agora se ele continuaria a ter aquelas atitudes de «Sex Gott» pelas quais tinha ficado famoso.
 
“Isso seria impossível.” A resposta dele foi sincera e reconfortou-me, apagando os meus medos me imediato. Mas foi o que ele me disse a seguir que fez o meu coração bater com mais força outra vez, “Ainda tenho esperança de que o futuro nos favoreça, Emi.”
 
Rolei novamente na cama, desta vez para ficar frente a frente com ele, dentro daquele abraço de onde eu jamais queria sair. Aconcheguei-me melhor nos braços do Tom, encostando a minha cabeça ao tronco dele, sentindo o calor do seu corpo, o cheiro da sua pele e ouvindo o seu coração bater.
 
Ele começou acariciar os meus cabelos gentilmente, enquanto me beijava a testa de uma forma muito doce. Eu comecei a brincar com uma rasta que a minha mão apanhou, enrolando-a nos meus dedos. Sorri esperançada quando lhe respondi:
 
“Isso, Tom, teremos de esperar para ver…”.

 

* * *

 

Continua...

Lá está, a reviravolta que vos disse... Nem tudo na vida é um mar de rosas, não é? Snif! Até eu estou com pena daqueles dois xD

 

Bem... Vou tentar ser mais rápida com o próximo capitulo! Porque vocês merecem mesmo!

Será preciso dizer que quero saber a vossa opinião? É porque eu quero sim!! ^^

Comentem!

 

Loads of Kisses to All of You! x) 

 

sinto-me: Quero mm uma beijoca do Tom xD
música: Muse - Stockholm Syndrome
publicado por Dreamer às 21:06
link do post | comentar | favorito
24 comentários:
De juliana kaulitz a 3 de Julho de 2008 às 21:17
ADORO A TUA FIC PLEASE POXTA +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++ MT + PLEASE !!! BJKX DA JULI
De Sii '' a 3 de Julho de 2008 às 21:19
amei este capitulo...sim ta triste mas tá tão lindo....

kero mais sim??!?!


por favor....


jinhu'hh
De mia a 3 de Julho de 2008 às 21:29
despacha-te, despacha-te *.*

tou ansiosa pa saber como e qe isto acaba :3
De Mii. a 3 de Julho de 2008 às 21:35
Pois não , nem tudo é um mar de rosas ( :
E para saciar a saudade ficam as memórias .
Se acabasse agora eu diria qe ficou tudo bem ^^
Pelo menos eles fizeram as pazes .
Não se pode ter tudo , e eles já tem, pelo menos uma história bonita para contar. Um amor sentido onde se podem agarrar qando as coisas correrem mal e nao lhes apetecer continuar . Porqe se isso alguma vez acontecer, eles vão ter sempre a esperança de voltar a ver o seu amor, e qual melhor razão para continuar ? ( :

Gostei mesmo deste capitulo , alias, os ultimos capitulos têm me fascinada bastante .
Estou ansiosa pelos proximos ^^,
[qe testamento x D]

Beijinho .
De protagonistas a 3 de Julho de 2008 às 21:49
normalmente choro nos filmes, já os livros vêem a tarefa de me arrancar lagrimas mais complicada. Apenas alguns dos livros me fazem soltar lagrimas. Acredites ou nao penses o que quiseres ( que por exemplo sou ridicula) eu deixei ás lágrimas escorrerem enquanto lia este capítulo, tocou cá dentro talvez por saber que é demasiado parecido a vida real.

SIMPLESMENTE PERFEITO! AMEI E QUERO MAIS SIM *.*????
De Funny Girl x a 3 de Julho de 2008 às 22:00
Tu ainda me vais fazer chorar com a tua fic.

Ler este capitulo e ainda por cima com a música ~que tens no perfil,

Transmites todo o sofrimento que eles estão a sentir meu deus até fico toda arrepiada.

Posta mais sim??

bjitos~~
De Sássára a 3 de Julho de 2008 às 22:11


Fizeste-me chorar neste capítulo.. Deve ser tão difícil passar por algo assim.

Beijinho @
De Mollie a 3 de Julho de 2008 às 22:25
Eu não acredito... Tu puseste-ME mesmo a chorar!!!
Estes dois são perfeitos um para o outro! AMEI!

Vê lá se o proximo capitulo sai mais depressa do forno xD

Bejos***
De Sofia Oliveira a 3 de Julho de 2008 às 22:31
está lindo, lindo..

é pena ser tão triste, eu não queria que eles se separassem, eles deviam ficar juntos, mas é verdade eles pertencem a mundos diferentes..

beijinho
De elly-ana a 3 de Julho de 2008 às 23:52
tadinhos...

isto é sofrimento a mais...

eles que se casem, tenham muitos filhinhos de um vez...

posta mais...

beijinho****

Comentar post

Dreamer @ 02-04-2008

.mais sobre mim

.links

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.mais comentados

.Follow me :D

. Don't Stop! - Chap 2

. Don't Stop! - Chap 1

. Wake up sleepy head !

. "Forever Sacred" - Chap 2...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Chap 1...

. "Forever Sacred" - Resumo...